©2020 por Associação Brasileira de Física Médica

ATRIBUIÇÕES DO ESPECIALISTA EM MEDICINA NUCLEAR

A Física da Medicina Nuclear é a área da Física-Médica relacionada ao uso de radionuclídeos para fins de diagnóstico e terapia, por isso, os físicos especialistas nesta modalidade devem estar aptos a realizar as atividades específicas associadas a ela. Além disso, eles devem possuir uma formação geral e básica sobre a Física-Médica, em especial, sobre as outras modalidades de imagens médicas como a radiologia, a ressonância magnética nuclear e a ultrassonografia.

As atividades da competência dos físicos que atuam em Medicina Nuclear incluem:

  • Especificar, calibrar e manusear quipamentos: mapeador linear, câmara de cintilação estacionária, câmara tomográfica por emissão de fóton único (SPECT), contadores cintilográficos sólidos e líquidos, sistemas de medidas de captação, monitores de área, calibradores de dose, sistemas computacionais, sistemas de registro, processadores de filmes, e outros.

  • Desenvolver e executar programas de aceitação, controle e garantia de qualidade dos equipamentos e imagens de Medicina Nuclear, segundo normas e critérios de IAEA, CNEN, ACR/NEMA, AAPM, HPA, e outros.

  • Atuar em proteção radiológica: monitorar, controlar e realizar a proteção radiológica do ambiente, público, pacientes e pessoal de trabalho; manipular e gerenciar os rejeitos, descontaminar e controlar incidentes e acidentes radioativos; planejar áreas de manuseio, uso e armazenamento de materiais radioativos não-selados (gases, líquidos e sólidos); implementar normas e regulamentos locais, nacionais e internacionais, otimizar a proteção radiológica;

  • Proceder a dosimetria de pacientes: calcular doses internas; planejar e monitorar procedimentos terápicos;

  • Apoiar na área de Radiofarmácia: no manuseio de geradores de radionuclídeos e de fontes não-seladas, no controle de atividades manipuladas; ministrar noções sobre preparação e controle de qualidade de radiofármacos;

  • Apoiar as indicações clínicas, desenvolvendo protocolos de aquisição de dados e de técnicas de processamento digital e análise;

  • Atuar no treinamento e formação de recursos humanos na área de Medicina Nuclear: apoiar no planejamento e participar em programas de residência e de especialização médicas, e de formação de técnicos especializados;

  • Ser o supervisor de proteção radiológica do serviço de medicina nuclear;

  • Dar apoio administrativo e logístico em assuntos relacionados com planejamento, uso, compra e transporte de equipamento e materiais radioativos não-selados e seus derivados;

  • Formular, organizar, participar, gerenciar, procurar apoio financeiro e outras atividades relacionadas a desenvolvimentos de projetos de pesquisa na área;