Busque na ABFM:
 
ÁREA RESTRITA
 
 
Esqueci minha senha
 
DESTAQUES
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
ABFM NEWS - Noticias
 
F.D.A. Approves a Bone Drug for Cancer Patients
 
"The Food and Drug Administration on Thursday approved the use of Amgen’s bone drug denosumab as a treatment for cancer patients whose disease has spread to their bones. The drug, which will be called Xgeva, does not treat the cancer itself. Rather, it helps prevent fractures, spinal cord compression or other bone problems that can arise as cancers weaken the bones. Denosumab, which is considered crucial to Amgen’s future, was approved in June as a treatment for osteoporosis in post-menopausal women. It is sold for that purpose under the name Prolia. Sales so far have been slow. But the use for cancer patients might be more lucrative for Amgen because cancer patients would use 12 times as much of the drug a year than osteoporosis patients do. Sales could easily surpass $1 billion a year, some analysts estimate. The wholesale price of Xgeva will be $1,650 for an injection given every four weeks, the company said. Amgen needs strong sales of denosumab because growth is slowing for its now mature portfolio of other products. And sales of its anemia drug Aranesp have fallen over the last few years because of safety concerns. Bone metastases are quite common, particularly for advanced prostate, breast and lung cancer. For patients with advanced prostate cancer, bone metastases are the dominant cause of death and symptoms, said Dr. Matthew R. Smith, a prostate cancer specialist at the Massachusetts General Hospital Cancer Center. Amgen tested Xgeva directly against Novartis’s Zometa, which is already approved to prevent bone problems in cancer patients. Xgeva proved superior in prostate and breast cancer in reducing the risk of fractures, spinal cord compression or the need for surgery or radiation treatment for bone problems. For other solid tumors Xgeva was roughly equivalent to Zometa. But Xgeva did not work well in multiple myeloma, a cancer of the bone marrow, so it is not approved for patients with that cancer or other blood and lymphatic cancers. Amgen, the world’s largest biotechnology company, is also testing whether denosumab could actually prevent the spread of cancer to the bone in the first place. There is no drug approved for that purpose. Results of that trial are expected before the end of this year. " [+ leia mais]
Fonte: NYTimes
 
 
Construção de usinas nucleares deve impulsionar setor industrial no país
 
"Segundo a Comissão Nacional de Energia Nuclear, a construção de usinas nos próximos 15 anos deve movimentar cerca de R$ 40 bilhões e gerar cerca de 50 mil empregos no período A construção de usinas nucleares pelo governo brasileiro nos próximos 15 anos deve movimentar cerca de R$ 40 bilhões no período e dar impulso ao segmento. A previsão é da Comissão Nacional de Energia Nuclear (Cnen), que apresentará nesta terça-feira (23), durante o 1º Encontro de Negócios de Energia Nuclear, em São Paulo, possibilidades de investimentos no setor, que poderá gerar cerca de 50 mil empregos. No evento, a Cnen divulgará um estudo inédito com as demandas do Programa Nuclear Brasileiro. O documento avaliou a necessidade de serviços, insumos e matérias-primas para a conclusão da Usina Angra 3 e a construção de mais quatro unidades até 2025. Desde a necessidade de formação profissional, a lista inclui a produção de equipamentos tecnológicos, componentes eletromecânicos e peças que serão usadas nos ciclos do combustível nuclear. De acordo com o coordenador-geral de Planejamento e Avaliação da Cnen, Francisco Rondinelli Júnior, para a construção de Angra 3, que está em andamento e deve ter todos os materiais e serviços licitados em cerca de um ano e meio, há a estimativa de que 70% do fornecimento sejam nacionais. Com a exposição das demandas do programa, o objetivo é ampliar esse percentual na construção das demais usinas, adequando e qualificando o setor. ""Apesar da descontinuidade do programa nuclear, que constrói usinas nucleares num intervalo muito grande e acaba desmobilizando o setor industrial, existe o fato de a indústria do petróleo no país estar produzindo insumos comuns. Existe um parque industrial que atende ao segmento de petróleo e gás que está bem próximo do que exigimos. Alguns itens precisarão de certificação, mas nem todos, portanto existe uma capacidade"", afirmou. Em relação ao domínio da produção do urânio, combustível das usinas nucleares, o coordenador explicou que o país detém a tecnologia, mas precisa ampliá-la para escala industrial. Dessa maneira, destacou que os negócios poderão também se expandir em países com os quais o Brasil mantém acordos de cooperação na América Latina, como a Argentina. ""Apesar de as usinas serem diferentes, outros países também falam em energia nuclear, como o Chile"", acrescentou. O 1º Encontro de Negócios de Energia Nuclear será realizado na sede da Federação das Indústrias de São Paulo (Fiesp), na Avenida Paulista, e também abordará investimentos em energia nuclear nas áreas de saúde a agricultura. (Agência Brasil, 23/11) " [+ leia mais]
Colaborador: Camila de Sales
Fonte: Jornal da Ciência
 
 
Programa de cooperação com a França seleciona 30 projetos de pesquisa
 
"Foi divulgado nesta segunda-feira, 22/11, o resultado do programa de cooperação acadêmica com a França Capes-Cofecub Foram aprovados 30 projetos de pesquisa, nas mais variadas áreas do conhecimento promovidas por instituições de quatro regiões brasileiras. Os projetos conjuntos de pesquisa selecionados terão início em março de 2011 e deverão conter planejamento de atividades com duração máxima de quatro anos. A iniciativa é fruto da parceria entre a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e o Comitê Francês de Avaliação da Cooperação Universitária e Científica com o Brasil (Cofecub). Entre os benefícios aos projetos selecionados estão financiamento de missões de trabalho e estudo e recursos de custeio à equipe brasileira, no valor de R$ 10 mil anual, que devem ser utilizados conforme previsto no Manual de Concessão de Prestação de Contas de Auxílio Financeiro a Pesquisador. " [+ leia mais]
Colaborador: Camila de Sales
Fonte: Jornal da Ciência
 
 
18th International Conference on Medical Physics (ICMP 2011)
 
"18th International Conference on Medical Physics (ICMP 2011). de 17 a 20 deabril de 2011, em Porto Alegre, no Centro de Eventos da PUCRS. A data limite para envio de resumos e artigos completos é 15 de janeiro de 2011,. Maiores informações sobre o evento podem ser encontradas em: http://www.pucrs.br/ficia/icmp2011 " [+ leia mais]
Colaborador: Ana Marques
 
 
VII Curso de Física e Técnica e Aplicações da Tomografia
 
"Data: 26, 27 e 28 de Novembro de 2010 – Sexta, Sábado e Domingo. Local: Auditório do Instituto de Educação e Pesquisa do Hospital Moinhos de Vento Rua Ramiro Barcelos 910, 1° Subsolo – Porto Alegre – RS Carga-Horária: 25 horas-aula teóricas e 16 horas-aula práticas – Total: 41 horas Público-Alvo: Médicos, Residentes, Físicos, Tecnólogos e Técnicos em Radiologia, estudantes e demais profissionais da área de saúde. Objetivo: Este curso abordará os princípios físicos, técnicos e aplicações da tomografia computadorizada, desde seus parâmetros de aquisição de imagens até a anatomia radiológica seccional. Será explorado o funcionamento e principais diferenças entre os equipamentos convencionais, helicoidais e multislice. Serão realizadas atividades práticas junto ao equipamento multislice do Centro de Imagem. “O principal objetivo do curso é unir a física e técnica à prática clínica, apresentando aos participantes o embasamento teórico fundamental para o conhecimento da Tomografia Computadorizada”. Organização: Físicos Alessandro A. Mazzola, José Augusto Marconato e Éder Rezende de Quadros Incrições por e-mail: cursos.iep@hmv.org.br"
Colaborador: Cecília Haddad
 
 
ANPG destaca importância da concessão de licença-maternidade a bolsistas
 
"10. ANPG destaca importância da concessão de licença-maternidade a bolsistas   A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) publicou na terça-feira (16/11) portaria que permite prorrogação da vigência da bolsa de parturientes Leia mensagem assinada pela presidente da ANPG, Elisangela Lizardo, e pela diretora de Comunicação da entidade, Luana Meneguelli Bonone:   ""A Associação Nacional de Pós-Graduandos (ANPG) tem pautado a humanização das bolsas de pesquisa, agregando neste conceito algumas pautas históricas, dentre as quais a licença-maternidade. A portaria n° 220, de 12 de novembro, publicada no Diário Oficial de terça-feira (16) pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), que garante para parturientes a extensão por até quatro meses da bolsa, é uma justa resposta da Capes à reivindicação dos pós-graduandos, apresentada pela ANPG.   É estimulante ver o resultado concreto de uma luta tão cotidiana em termos de direitos para os pós-graduandos. Este é um passo importantíssimo que a Capes dá no sentido da humanização das bolsas, atendendo a demanda apresentada pela ANPG. O próximo passo é a valorização das bolsas, em maior número e com valor reajustado. Temos confiança que a Capes também será sensível a esta importante bandeira para o avanço da pós-graduação no país.   Só nesta gestão, foram diversas as ações desempenhadas pelos pós-graduandos brasileiros que pressionaram por esta conquista: no 22º Congresso Nacional de Pós-Graduandos, realizado no Rio de Janeiro em abril deste ano, foi aprovada resolução em favor da licença com extensão da bolsa.   Na semana da posse da atual diretoria, foi realizada ainda uma campanha de bolsas que teve duas pautas centrais: a campanha pela aprovação da licença-maternidade pela Capes, e a campanha pelo aumento do número e valor das bolsas da Capes e do CNPq.   Capes e MEC pautados   A reivindicação da licença-maternidade foi apresentada ao diretor de avaliação da Capes, Lívio Amaral, que recebeu a diretoria na ocasião. Na ocasião, a ANPG protocolou um documento endereçado ao presidente da Capes cobrando medidas emergenciais à pesquisa no Brasil, dentre as quais a licença-maternidade. Na mesma semana, a ANPG se reuniu com o Ministro Fernando Haddad e apresentou a pauta também neste espaço.   A pauta foi ainda reforçada na Caravana de Ciência, Tecnologia e Inovação da ANPG, realizada entre março e maio de 2010 em todas as regiões do país, e nos materiais das entidades, sempre aparecendo como bandeira urgente na luta pela humanização das bolsas.  E novamente pautada durante a participação da ANPG na 4ª Conferência Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação (CNCTI).   A pressão pela edição da portaria foi retomada quando da edição de outro documento, a portaria conjunta n° 001 da Capes e do CNPq, que permitiu acumulação de bolsas com trabalho remunerado. Por consequência do debate acerca desta última portaria, a ANPG lançou uma campanha pela humanização das bolsas, por meio de nota, novamente pautando como questões centrais a licença-maternidade e a bandeira por mais e melhores bolsas. " [+ leia mais]
Colaborador: Camila de Sales
Fonte: Jornal da ciência
 
 
Unesp terá instituto internacional de física teórica
 
"17. Unesp terá instituto internacional de física teórica   Nova unidade na Barra Funda é fruto de um acordo entre a universidade e o Centro Internacional de Física Teórica e deverá abrigar cinco especialistas Um acordo firmado entre o Instituto de Física Teórica (IFT), instalado no campus Barra Funda da Universidade Estadual Paulista (Unesp), e o Centro Internacional de Física Teórica (ICTP, na sigla em inglês) resultará em um novo instituto voltado à pesquisa básica e que receberá cinco especialistas.   O ICTP é um órgão da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) e sua sede fica na cidade de Trieste, na Itália, onde a parceria foi formalizada pelo diretor do ICTP, Fernando Quevedo, pelo vice-reitor da Unesp, Julio Cezar Durigan, e pelo diretor do IFT, Rogério Rosenfeld.   Denominada ICTP-South American Institute for Fundamental Research (Instituto Sul-Americano de Pesquisa Básica ICTP) a nova unidade terá infraestrutura provida pelo IFT e pesquisadores que realizarão estudos independentes e atuarão junto à pós-graduação da Unesp.   Segundo a universidade, a contratação dos profissionais será coordenada por um conselho científico formado por dez especialistas de projeção internacional, incluindo representantes regionais. Esse grupo orientará o trabalho do órgão. Os nomes dos seus integrantes serão definidos nos próximos meses.   ""O renome do ICTP ajudará a Unesp a atrair os melhores cérebros para o nosso quadro docente e também para as atividades acadêmicas e de pesquisa que vamos iniciar"", disse Rosenfeld.   A unidade também organizará workshops, seminários e palestras, viabilizando a participação de cientistas de prestígio do exterior. O diretor do IFT prevê que essas atividades tenham início já no segundo semestre de 2011.   A partir dessa ação, a Unesco pretende influenciar a criação de outros centros de excelência em pesquisa básica na área de física no continente americano, fora dos Estados Unidos e do Canadá.   Mais informações: www.unesp.br (Agência Fapesp, 19/11)     Anterior 16. Esquerda latino-americana vai com ambição para cúpula climática Próxima 18. Europeus flagram o 1º planeta de outra galáxia Índice de Noticías - imprimir - enviar - comentário " [+ leia mais]
Colaborador: Camila Sales
Fonte: Jornal da ciência
 
 
50 years of the SI – a key partner in science and technology
 
"As we celebrate the 50th anniversary of the International System of Units (SI), NPL|s Jonathan Williams explains just how essential the system is to science and society alike. NPL|s Jonathan Williams explains how important the SI units are to every aspect of our lives. Measurement today is incredibly valuable - we depend on it for almost everything. Healthcare relies upon measured dosages; food and raw materials are bought by weight or size; vehicle manufacturers need parts made in different countries to fit together - we could go on and on. Measurement is so embedded it often plays an essential but overlooked role. At the centre of it is the SI - the standard system of measurement units for scientists worldwide. The SI: from the laboratory to business The SI plays a large part in the work we do here, as NPL is the UK|s National Measurement Institute (NMI). As a NMI, we maintain and develop measurement standards, including those of the SI units. Our role also includes providing all the measurement infrastructure scientists, manufacturers and those in research and development need, working with them to ensure the accuracies required. A large part of this is calibrating measurement equipment against our standards, to find any errors and to keep measurements across the UK linked and traceable. As measurement touches on every aspect of our lives, the quality of it often matters greatly. Anyone who needs access to an SI unit can come to NPL. Of the SI base units - the second, the kilogram, etc. - some we do calibrations directly against. However, there are also the derived units, which are products and ratios of the base units. We package those units up and then give people calibrations of the derived units as well. For instance, force is measured in newtons, but made up of metres, kilograms and seconds; so we|d give calibrations in newtons. That|s another role of the NMI - to provide all the combinations that people want to use. Industries who need the highest quality of accuracy come directly to us for calibrations. Turning out products, day in and day out, they have to be sure everything is right all the time. NPL works directly with a diverse range of business sectors including aerospace, energy, environment, communications and healthcare. " [+ leia mais]
Colaborador: Laura Natal
Fonte: NPL
 
 
Fundamental Constants iPhone App
 
"NPL has released its first app, Fundamental Physical Constants, for iOS devices such as iPhones and iPads.It will provide researchers with easy and up-to-date access to the values for all the physical constants. " [+ leia mais]
Colaborador: Laura Natal
Fonte: Apple Store
 
 
IAEA Operational Safety Team Review Bohunice Nuclear Power Plant, Slovak Republic
 
"Bohunice, 18 November 2010 |An international team of nuclear installation safety experts, led by the International Atomic Energy Agency (IAEA), has reviewed Slovakia?s Bohunice Nuclear Power Plant (BNPP) for its safety practices and has noted a series of good practices as well as recommendations to reinforce them. The IAEA assembled an international team of experts at the request of the Government of Slovak Republic to conduct an Operational Safety Review (OSART) of Bohunice NPP. Under the leadership of the IAEA?s Division of Nuclear Installation Safety, the OSART team performed an in-depth operational safety review from 1 to 18 November 2010. The team was made up of experts from Belgium, Canada, China, the Czech Republic, France, Sweden, the United Kingdom, and the IAEA. An OSART mission is designed as a review of programmes and activities essential to operational safety. It is not a regulatory inspection, nor is it a design review or a substitute for an exhaustive assessment of the plant?s overall safety status. The team at BNPP conducted an in-depth review of the aspects essential to the safe operation of the NPP, which largely is under the control of the site management. The conclusions of the review are based on the IAEA?s Safety Standards and proven good international practices. The review covered the areas of Management, Organization and Administration; Operations; Maintenance; Technical Support; Operating Experience; Radiation Protection; Chemistry and Emergency Planning and Preparedness. Long Term Operation assessment has been requested by the plant in addition to the standard OSART program. The OSART team has identified good plant practices which will be shared with the rest of the nuclear industry for consideration of their application. Examples include: * BNPP has implemented a comprehensive set of technical and organizational measures which have significantly reduced the production of liquid radioactive waste; * BNPP has developed an automatic transfer of dosimetry data that enables both Bohunice and Mochovce sites to learn of workers doses in real time; and * a strong independent nuclear safety oversight organization has been set up at the utility level to support the plants in term of safety analysis and assessment. The team has made recommendations and suggestions related to areas where operational safety of Bohunice NPP could be improved. Examples include: * Work clearances orders and communication procedures are not always implemented in a safe manner; * identification and reporting of field deficiencies are not at the optimal level; and * contamination control practices could be further improved. BNPP management expressed a determination to address all the areas identified for improvement and requested the IAEA to schedule a follow-up mission in approximately 18 months. The team handed over a draft of their recommendations, suggestions and good practices to the plant management in the form of ""Technical Notes"" for factual comments. The technical notes will be reviewed at IAEA headquarters including any comments from BNPP and the Slovak Regulatory Authority. The final report will be submitted to the Government of Slovak Republic within three months. This was the 159th mission of the OSART programme, which began in 1982. " [+ leia mais]
Fonte: IAEA
 
 
Poder do vácuo
 
"Agência FAPESP – Seria a energia presente no vácuo capaz de controlar o destino de estrelas ou até mesmo do Universo inteiro? Uma nova linha de pesquisa conduzida por físicos brasileiros está mostrando que talvez isso seja possível. O assunto é o destaque da nova edição da revista Unesp Ciência, da Universidade Estadual Paulista. Os físicos descobriram na teoria um efeito capaz de transformar a energia do espaço vazio em protagonista de uma destruição “cataclísmica”, como definiu George Matsas, professor do Instituto de Física Teórica (IFT) da Unesp em São Paulo. O fenômeno é chamado de “despertar do vácuo”. Matsas coordena o Projeto Temático “Física em Espaços-Tempos Curvos”, apoiado pela FAPESP. A descoberta foi feita pelo professor Daniel Vanzella, do Instituto de Física de São Carlos da Universidade de São Paulo, e seu aluno William Couto Corrêa de Lima, que faz doutorado com Bolsa da FAPESP, e foi descrita em abril na revista Physical Review Letters. " [+ leia mais]
Fonte: Agência FAPESP
 
 
Exercícios podem reduzir risco de câncer
 
"Agência FAPESP – Mais uma boa notícia para quem pratica atividades físicas – ou um estímulo para quem quer começar. Um estudo observou que mulheres que se exercitaram por pelo menos 150 minutos por semana apresentaram risco reduzido de desenvolvimento de câncer de endométrio – tumor maligno mais comum nos órgãos genitais femininos. A pesquisa, feita na Escola Yale de Saúde Pública, nos Estados Unidos, foi apresentada nesta terça-feira (9/11) na Conferência de Pesquisa para Prevenção do Câncer da Associação Norte-Americana de Pesquisa sobre o Câncer, na Filadélfia. O menor risco foi verificado tanto para mulheres com peso normal como com sobrepeso ou obesas. “O estudo é consistente com trabalhos anteriores que fortemente apoiam a associação entre atividade física e menor incidência de câncer de endométrio”, disse Hannah Arem, um dos autores do estudo. " [+ leia mais]
Fonte: Agência FAPESP
 
 
Anti-hidrogênio é capturado 18/11/2010
 
"Agência FAPESP – Em um experimento feito no Centro Europeu de Pesquisas Nucleares (Cern), um grupo internacional de cientistas conseguiu demonstrar que é possível prender e controlar a liberação de átomos de anti-hidrogênio – equivalentes na antimatéria aos átomos de hidrogênio. A novidade, descrita nesta quinta-feira (18/11) no site da revista Nature, abre o caminho para a realização de estudos precisos sobre as simetrias fundamentais da natureza. A antimatéria é composta de antipartículas da mesma maneira que a matéria normal é formada por partículas. A antimatéria foi prevista pela primeira vez em 1931, pelo físico inglês Paul Dirac (1902-1984), como tendo a carga oposta da matéria normal e sendo aniquilada completamente em um flash de energia após interagir com a matéria normal. " [+ leia mais]
Colaborador: Laura Natal
Fonte: Agência FAPESP
 
 
Post-symposium Message from DDG-SG
 
"The Safeguards Symposium 2010 was a tremendous success. And I am personally delighted with the outcome. When we placed an international call for papers earlier this year, we never expected that we would be presenting around 220 of them at the Symposium. Participants originated from 70 Member States, as well as from 16 non-governmental organisations. We particularly want to continue to encourage developing countries to attend and contribute: the call for papers was to all States, and no submitted abstracts have been, or will be, rejected. " [+ leia mais]
Colaborador: Laura Natal
Fonte: IAEA
 
 
"Faltam mais estudos que provem riscos do celular", diz oncologista Paulo Hoff
 
"O celular causa ou não danos à saúde? A pergunta principal do debate promovido pela Folha na quarta-feira (17) ficou sem resposta. Ou, com três respostas. Veja a íntegra de debate Leia entrevista com a pesquisadora americana Devra Davis O oncologista Paulo Hoff, do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo, o engenheiro Alvaro Salles, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, o biomédico Renato Sabbatini, professor da Unicamp, e o psiquiatra Elko Perissinotti, do Hospital das Clínicas de São Paulo, não entraram em consenso sobre o resultados das pesquisas publicadas até agora. Sabbatini, que coordenou uma revisão de estudos sobre o tema, se apoiou nos últimos resultados de uma pesquisa da Organização Mundial da Saúde para afirmar que não há prova de risco. "" Não existe plausibilidade biofísica para esse efeito, uma vez que a intensidade dos campos [magnéticos do celular] é extremamente baixa, da ordem de miliwatts por metro quadrado."" Salles, estudioso dos efeitos da radiação emitida pelos celulares, citou dados de um apêndice da mesma pesquisa para defender o ponto de vista contrário. ""Usuários há mais de dez anos tiveram o dobro do risco de tumores cerebrais."" Acompanhe a Folha no Twitter Conheça a página da Folha no Facebook O oncologista Paulo Hoff ponderou que, com quase 5 bilhões de pessoas usando celular e com a explosão do uso nos últimos dez anos, se houvesse impacto na saúde, ele já estaria claro na sociedade. ""Você não pode descartar que haja impacto mas, se houver, é pequeno."" O mais perto que especialistas chegaram de um consenso durante o debate foi em relação ao risco do uso do celular por crianças. Para o biomédico Renato Sabbatini, o conhecimento atual sobre os efeitos das ondas do celular sobre o cérebro infantil é insuficiente. Ele lembrou que há um grande estudo em andamento no Reino Unido para medir o impacto dos aparelhos em adolescentes, mas os resultados só vão sair em 20 anos. ""Antes disso, não vamos ter uma resposta."" Ainda que não haja certeza, Sabbatini acredita que os pais devem orientar melhor seus filhos para um uso responsável do aparelho. A situação é bem mais crítica na visão de Alvaro Salles. ""A espessura do crânio de uma criança é a metade da de um adulto. O cérebro delas tem o conteúdo de um líquido salino, que concentra mais o campo eletromagnético. E muitos dos efeitos de baixo nível [de exposição] ocorrem na multiplicação das células. Nas crianças, as células se multiplicam com maior rapidez."" Para Salles, as evidências de possíveis danos ao DNA -que poderiam levar a mutações e tumores- já são suficientes para uma mudança radical na maneira como as pessoas usam o aparelho. O engenheiro defende que os telefones deveriam vir sem alto-falantes, obrigando as pessoas a usar fones de ouvido em vez de colocar o telefone na orelha. Com a maior distância do cérebro, a exposição à radiação seria menor. ""Os fabricantes publicam alertas nos manuais para que os usuários não encostem o celular a distâncias menores que 2,5 cm da cabeça. É quase uma confissão de culpa."" Sabbatini afirma que o alerta não se aplica à cabeça, que é protegida pelo crânio. Ainda que não haja provas concretas de riscos, o oncologista Paulo Hoff acredita que precaução nunca é demais. ""Sou a favor do uso mais responsável e contido, porque as pessoas estão ficando escravas do celular."" Para o psiquiatra Elko Perissinotti, o uso do celular já é quase sinônimo de dependência. ""O ser humano tende ao abuso. Hoje, no Hospital das Clínicas, já temos tratamento para dependentes de internet. Acredito que em um ano teremos tratamento para dependentes de celular."" Hoff acredita que não chegaremos ao ponto de ter que escolher entre a tecnologia e a saúde. ""A história mostra que quando a tecnologia era importante e causou problemas, ela foi corrigida. A própria tecnologia acaba gerando sua solução."" " [+ leia mais]
Colaborador: Laura Natal
Fonte: Folha
 
 
Governmental, Legal and Regulatory Framework for Safety General Safety Requirements Part 1
 
The objective of this publication is to establish requirements in respect of the governmental, legal and regulatory framework for safety. It covers the essential aspects of the framework for establishing a regulatory body and taking other actions necessary to ensure the effective regulatory control of facilities and activities utilized for peaceful purposes. Other responsibilities and functions, such as liaison within the global safety regime and on support services for safety (including radiation protection), emergency preparedness and response, nuclear security, and the State system of accounting for and control of nuclear material, are also covered. [+ leia mais]
Colaborador: Camila Salles
Fonte: Pub.IAEA
 
 
Goldemberg ganha prêmio Ernesto Illy
 
"O professor José Goldemberg, do Instituto de Eletrotécnica e Energia da Universidade de São Paulo, é o ganhador do Prêmio de Ciência de Trieste Ernesto Illy. A distinção foi entregue nesta terça-feira (19/10), em Hyderabad (Índia), pelo primeiro-ministro do país, Manmohan Singh. O prêmio, no valor de US$ 100 mil, é concedido anualmente a pesquisadores de países em desenvolvimento por contribuições importantes à ciência e tem o apoio da illycaffè, da Fundação Ernesto Illy e da Academia de Ciências do Mundo em Desenvolvimento (TWAS). “Esse prêmio concede uma satisfação muito grande. É um reconhecimento sério, que vem de cientistas que partilham e identificam o real valor da pesquisa, sem qualquer interesse político”, disse Goldemberg. Um dos maiores especialistas em energia no mundo, Goldemberg é conhecido defensor do uso de novas tecnologias para promover o desenvolvimento sustentável. Em artigo publicado na revista Science, em 1978, Goldemberg e colegas apresentaram uma série de evidências científicas demonstrando que biocombustíveis, então derivados da cana-de-açúcar, poderiam reduzir o uso de combustíveis fósseis no Brasil. “Na época, os esforços para desenvolver biocombustíveis no Brasil foram, em grande parte, justificados pela segurança energética. Nossa pesquisa demonstrou que a produção de biocombustíveis não somente reduziria o uso e a dependência do combustível fóssil, como também ajudaria a reduzir a poluição do ar e as emissões de gases do efeito estufa”, disse. Ao verificar o positivo equilíbrio fornecido pela energia dos biocombustíveis, levando em consideração o benefício ambiental e o potencial energético, os estudos reforçaram o apoio ao programa brasileiro de biocombustíveis, ajudando a garantir sua viabilidade a longo prazo. Atualmente, o Brasil produz mais de 25 bilhões de litros de etanol de cana-de-açúcar por ano e mais da metade dos veículos de pequeno porte no país utilizam etanol. “Em um mundo cada vez mais preocupado com o futuro abastecimento de energia e com o aquecimento global, o contínuo desenvolvimento de biocombustíveis provavelmente irá se revelar um ingrediente essencial ao crescimento econômico sustentável”, disse Goldemberg. Doutor em ciências físicas pela USP, Goldemberg foi reitor da universidade de 1986 a 1990. Foi presidente da Companhia Energética de São Paulo e da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência, ministro da Educação, secretário do Meio Ambiente da Presidência da República e secretário do Meio Ambiente do Estado de São Paulo, entre diversos outros cargos. Como professor ou pesquisador esteve nas universidades de Paris (França), Princeton e Stanford (Estados Unidos) e Toronto. Foi selecionado pela revista Time como um dos 13 “Heroes of the Environment” em 2007. Recebeu o Blue Planet Prize 2008, da Asahi Glass Foundation. Em 2007, copresidiu o painel de estudos do InterAcademy Council (IAC), responsável pelo relatório Lighting the Way: Towards a Sustainable Energy Future. Em 2009, outro brasileiro foi reconhecido pelo Prêmio de Ciência de Trieste Ernesto Illy. Carlos Clemente Cerri, professor titular e pesquisador do Centro de Energia Nuclear na Agricultura (Cena) da USP, foi agraciado pelo estudo pioneiro do impacto climático das práticas agropecuárias sobre o clima, especialmente no Brasil, que ampliou a discussão sobre a estreita relação entre a agricultura, o clima e o meio ambiente. O Prêmio Ernesto Illy abordará em 2011 a área de ciência de materiais e, no ano seguinte, de saúde humana." [+ leia mais]
Fonte: Agência FAPESP
 
 
Nova técnica para diagnóstico de câncer
 
"A Clínica de Dermatologia do Hospital das Clínicas (HC) da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP), em parceria com a Faculdade de Odontologia da USP, iniciou um novo procedimento para o diagnóstico precoce do câncer labial e do câncer de pele. Segundo o HC, o método permite estudar alterações celulares das camadas superficiais da pele e da mucosa oral de forma criteriosa e não invasiva. Inédito na América do Sul, o exame é feito com um microscópio confocal, o único existente no Brasil. A tecnologia é semelhante a um aparelho de ultrassom. Em contato com a mucosa oral, o aparelho emite um laser, não lesivo, escaneia a área com suspeita de lesão e encaminha as imagens, em preto e branco, para um computador. A ampliação das imagens possibilita examinar as alterações celulares e indicar outros exames complementares, como a biópsia, quando preciso. Cerca de 50 pacientes em tratamento na Clínica de Dermatologia com suspeita de câncer labial serão os primeiros a serem beneficiados com o novo exame. Segundo o HC, a inovação não substituirá a biopsia – o exame mais utilizado para o diagnóstico do câncer da mucosa oral e da pele –, mas permitirá a avaliação de mais áreas lesadas, sem a necessidade de cortes ou anestesias. O método poderá ser útil no processo de retirada do tecido, por captar as alterações celulares das camadas superficiais da pele e da mucosa com precisão." [+ leia mais]
 
 
Desafio do glioma
 
"A ciência ainda sabe pouco sobre os mecanismos de desenvolvimento dos gliomas e de outros tipos de câncer cerebral. Mas, nos últimos anos, estudos in vivo e in vitro demonstraram que determinados ácidos graxos poliinsaturados (AGPI) inibem a proliferação desses tumores e induzem à morte celular, além de aumentar a eficácia da radioterapia e da quimioterapia. Um grupo de cientistas da Universidade de São Paulo (USP) está trabalhando para compreender o metabolismo dessas células tumorais e, a partir daí, identificar alvos para o desenvolvimento de novas drogas antitumorais com base em AGPI como os eicosanoides e os ácidos gama-linolênicos. Durante o 15º Congresso da Sociedade Brasileira de Biologia Celular, realizado de 24 a 27 de julho, em São Paulo, Alison Colquhoun, coordenadora do Laboratório de Metabolismo da Célula Tumoral do Instituto de Ciências Biomédicas (ICB) da USP, apresentou uma síntese do conhecimento gerado por sua equipe nos últimos anos sobre gliomas, morte celular e a potencial utilidade dos AGPI para tratamentos neuroncológicos. Alison, que é professora do Departamento de Biologia Celular e do Desenvolvimento do ICB-USP, discutiu o mesmo tema em artigo de revisão que será publicado na edição de agosto da revista Molecular Neurobiology. A versão on-line já está disponível. Seus estudos sobre o metabolismo de células tumorais vêm sendo desenvolvidos ao longo de toda a sua carreira, mas nos últimos cinco anos o foco do laboratório tem sido dirigido aos gliomas e outros tumores cerebrais." [+ leia mais]
Fonte: Agência FAPESP
 
 
Pesquisa transforma pele em sangue
 
"Um grupo de cientistas do Canadá descobriu como fazer sangue a partir da pele. Os pesquisadores conseguiram converter fibroblastos humanos diretamente em geradores de sangue, sem a necessidade de que as células passem por um estágio pluripotente (de diferenciação para um tecido). A novidade foi descrita em artigo publicado neste domingo (7/11) no site da revista Nature. A capacidade de reprogramar células em um estado pluripotente tem sido limitada pela falta de compreensão do processo por meio do qual essas células se especializam. Mickie Bhatia e colegas da Universidade McMaster usaram o fator de transcrição OCT4 junto com um tratamento específico com citocinas (proteínas ou peptídeos que podem ser produzidos por diversas células) para gerar, em laboratório, progenitores capazes de dar origem a uma ampla gama de células sanguíneas maduras. As células foram derivadas diretamente de fibroblastos de tecido conjuntivo, sem que primeiramente ocorresse a pluripotência. Ou seja, foi possível obter sangue a partir da pele sem precisar do estágio intermediário de produzir células pluripotentes a partir de células-tronco da pele. Segundo os autores, a conquista poderá levar ao desenvolvimento de fontes de células para aplicações clínicas. No futuro, pacientes que precisem de sangue para cirurgia, tratamento de câncer, anemia ou outra condição poderão ser capazes de ter o sangue criado a partir de células de sua própria pele. O grupo estima começar testes clínicos a partir de 2012." [+ leia mais]
Colaborador: Laura Natal
Fonte: Agência FAPESP
 
 
Páginas: 1 - 2 - 3 - 4 - 5 - 6 - 7 - 8 - 9 - 10 - 11 - 12 - 13 - 14 - 15 - 16 - 17 - 18 - 19 - 20 - 21 - 22 - 23 - 24 - 25 - 26 - 27 - 28 - 29 - 30 - 31 - 32 - 33 - 34 - 35 - 36 - 37 - 38 - 39 - 40 - 41 - 42 - 43 - 44 - 45 - 46 - 47 - 48 - 49 - 50 - 51 - 52 - 53 - 54 - 55 - 56 - 57 - 58 - 59 - 60 - 61 - 62 - 63 - 64 - 65 - 66 - 67 - 68 - 69 - 70 - 71 - 72 - 73 - 74 - 75 - 76 - 77 - 78 - 79 - 80 - 81 - 82 - 83 - 84 - 85 - 86 - 87 - 88 - 89 - 90 - 91 - 92 - 93 - 94 - 95 - 96 - 97 - 98 - 99 - 100 - 101 - 102 - 103 - 104 - 105 - 106 - 107 - 108 - 109 - 110 - 111 - 112 - 113 - 114 - 115 - 116 - 117 - 118 - 119 - 120 - 121 - 122 - 123 - 124 - 125 - 126 - 127 - 128 - 129 - 130 - 131 - 132 - 133 - 134 - 135 - 136 - 137 - 138 - 139 - 140 - 141 - 142 - 143 - 144 - 145 - 146 - 147 - 148 - 149 - 150 - 151 - 152 - 153 - 154 - 155 - 156 - 157 - 158 - 159 - 160 - 161 - 162 - 163 - 164 - 165 - 166 - 167 - 168 - 169 - 170 - 171 - 172 - 173 - 174 - 175 - 176 - 177 - 178 - 179 - 180 - 181 - 182 - 183 - 184 - 185 - 186 - 187 - 188 - 189 - 190 - 191 - 192 - 193 - 194 - 195 - 196 - 197 - 198 - 199 - 200 - 201 - 202 - 203 - 204 - 205 - 206 - 207 - 208 - 209 - 210 - 211 - 212 - 213 - 214 - 215 - 216
 
WEBMAIL
 
 
Dúvidas?
Esqueceu sua senha?
 
ABFM - ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE FÍSICA MÉDICA - CNPJ 02.091.077/0001-40