ÁREA RESTRITA
 
 
Esqueci minha senha
 
DESTAQUES
 
 
 
 
ABFM NEWS - Medicina Nuclear
 
I Curso de Física para Medicina Nuclear
 
A Sociedade Brasileira de Medicina Nuclear em parceria com a Associação Brasileira de Física Médica (ABFM) promoverá, entre 22 e 23 de Janeiro de 2016, o 1º Curso de Física para Medicina Nuclear, no Rio de Janeiro, para Médicos da área de medicina nuclear. O curso terá uma carga horária de 16 horas e será ministrado por professores com vasta experiência na área. O objetivo é abordar os tópicos essenciais da física que são exigidos na prática da Medicina Nuclear como instrumentação, identificação de artefatos e processamento de imagens. Veja abaixo o programa completo. Coordenação do Curso: Tadeu Kubo, Membro do Comitê Científico e Coordenador do Departamento de Física Médica da SBMN. [+ leia mais]
Colaborador: Ilo Baptista
Fonte: SBMN
 
 
Sociedade Brasileira de Medicina Nuclear escolhe a data da fundação da entidade como o dia de celebrar a especialidade no Brasil
 
Com uma história de desafios e superação a medicina nuclear celebra 54 anos neste mês de setembro. Neste ano a Sociedade Brasileira de Medicina Nuclear instituiu a data da fundação da entidade como celebrativa ao Médico Nuclear – sendo constituído “14 de setembro - Dia do Médico Nuclear”. 
 
Pela primeira vez os especialistas terão um motivo a mais para comemorar. “Além de relembrarmos a nossa história, o Dia do Médico Nuclear vem sedimentar um processo que temos há muito caminhado, em busca do reconhecimento da especialidade e de seu potencial no campo da medicina”, avalia Claudio Tinoco, presidente da Sociedade Brasileira de Medicina Nuclear (SBMN).
 
Na data a SBMN irá inaugurar em sua sede – localizada em São Paulo, a “Galeria de Presidentes” – um espaço permanente destinado a manter viva a memória da especialidade.  Na ocasião serão homenageados os presidentes que lideraram a sociedade, como reconhecimento de seus esforços em prol do reconhecimento e desenvolvimento da MN no País.
 
Desde a sua fundação, em 1961, a Sociedade Brasileira de Medicina Nuclear - entidade filiada à Associação Médica Brasileira (AMB) - tem buscado estratégias que fortaleçam e desenvolvam a especialidade no País, para que possa ser atingido o seu pleno potencial diagnóstico e terapêutico nos diversos campos da saúde, seja no âmbito público ou privado.  
 
Hoje, a medicina nuclear (MN) atua em diversas áreas como cardiologia, oncologia, hematologia, neurologia, entre tantas outras e usa quantidades mínimas de substâncias radioativas (radiofármacos) para diagnosticar diversas doenças, que incluem as cardiovasculares – em especial infecções agudas e infarto do miocárdio, embolia pulmonar, câncer, obstruções renais, demências. Entre os principais recursos estão a cintilografia e o PET-CT. 
 
Tinoco esclarece ainda que a especialidade pode também definir o tipo e extensão do câncer no organismo, o que irá ajudar o oncologista na decisão sobre a conduta terapêutica mais adequada para cada caso (terapia alvo). Como forma de tratamento, os radiofármacos podem ajudar a combater o hipertiroidismo ou tratamento de câncer na tiroide, dores ósseas, e também casos de tumores específicos. Recentemente, houve o registro do primeiro radiofármaco para tratamento de câncer de próstata. 
[+ leia mais]
Fonte: SBMN
 
 
Sociedade Brasileira de Medicina Nuclear escolhe a data da fundação da entidade como o dia de celebrar a especialidade no Brasil
 
Com uma história de desafios e superação a medicina nuclear celebra 54 anos neste mês de setembro. Neste ano a Sociedade Brasileira de Medicina Nuclear instituiu a data da fundação da entidade como celebrativa ao Médico Nuclear – sendo constituído “14 de setembro - Dia do Médico Nuclear”. 
 
Pela primeira vez os especialistas terão um motivo a mais para comemorar. “Além de relembrarmos a nossa história, o Dia do Médico Nuclear vem sedimentar um processo que temos há muito caminhado, em busca do reconhecimento da especialidade e de seu potencial no campo da medicina”, avalia Claudio Tinoco, presidente da Sociedade Brasileira de Medicina Nuclear (SBMN).
 
Na data a SBMN irá inaugurar em sua sede – localizada em São Paulo, a “Galeria de Presidentes” – um espaço permanente destinado a manter viva a memória da especialidade.  Na ocasião serão homenageados os presidentes que lideraram a sociedade, como reconhecimento de seus esforços em prol do reconhecimento e desenvolvimento da MN no País.
 
Desde a sua fundação, em 1961, a Sociedade Brasileira de Medicina Nuclear - entidade filiada à Associação Médica Brasileira (AMB) - tem buscado estratégias que fortaleçam e desenvolvam a especialidade no País, para que possa ser atingido o seu pleno potencial diagnóstico e terapêutico nos diversos campos da saúde, seja no âmbito público ou privado.  
 
Hoje, a medicina nuclear (MN) atua em diversas áreas como cardiologia, oncologia, hematologia, neurologia, entre tantas outras e usa quantidades mínimas de substâncias radioativas (radiofármacos) para diagnosticar diversas doenças, que incluem as cardiovasculares – em especial infecções agudas e infarto do miocárdio, embolia pulmonar, câncer, obstruções renais, demências. Entre os principais recursos estão a cintilografia e o PET-CT. 
 
Tinoco esclarece ainda que a especialidade pode também definir o tipo e extensão do câncer no organismo, o que irá ajudar o oncologista na decisão sobre a conduta terapêutica mais adequada para cada caso (terapia alvo). Como forma de tratamento, os radiofármacos podem ajudar a combater o hipertiroidismo ou tratamento de câncer na tiroide, dores ósseas, e também casos de tumores específicos. Recentemente, houve o registro do primeiro radiofármaco para tratamento de câncer de próstata. 
[+ leia mais]
Fonte: SBMN
 
 
Evento Gratuito - Avanços em PET/CT
 
Se você é estudante, profissional ou pesquisador da área de saúde e quer ficar atualizado sobre as novas tecnologias e os impactos no manejo clínico? Então você não pode perder a palestra “Avanços em PET/CT”, promovida pelo Serviço de Medicina Nuclear do Hospital São Rafael (Salvador-BA) em parceria com o Serviço de Medicina Nuclear do HC-UFPE e Departamento de Energia Nuclear da UFPE, no próximo dia 7 de julho (terça-feira), das 13 às 16 horas no Auditório São Lázaro do Hospital São Rafael e no dia 8 de julho, das 14h às 16h, no auditório do Departamento de Energia Nuclear da UFPE. O evento terá um palestrante internacional, o Prof. Dr. Adan Alessio, professor associado do Departamento de Radiologia da Universidade de Washington - Seattle, nos Estados Unidos. É bom lembrar que a apresentação será realizada em inglês e sem tradução simultânea. O evento tem o apoio da Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN) e da Agência Internacional de Energia Atômica (IAEA). O evento é gratuito, e não é necessário fazer inscrição prévia.
Colaborador: Walmoli Gerber Jr.
Fonte: ABFM
 
 
Sociedade Brasileira de Medicina Nuclear (SBMN) sobre a importância e a atuação do Físico Médico na Medicina Nuclear
 
Reportagem  da Sociedade Brasileira de Medicina Nuclear (SBMN) sobre a importância e a atuação do Físico Médico na Medicina Nuclear. A ABFM parabeniza os sócios participantes e a SBMN. [+ leia mais]
Colaborador: Tadeu Kubo
Fonte: SBMN
 
 
New Publication Released Online: Nuclear Medicine Physics: A Handbook for Teachers and Students
 
Nuclear Medicine Physics: A Handbook for Teachers and Students
Language: English
IAEA Reference Number: STI/PUB/1617
Released on the Internet on: 2015-01-14
ISBN: 978-92-0-143810-2
For more details, please click the link below:
http://www-pub.iaea.org/books/IAEABooks/10368/Nuclear Medicine Physics: A Handbook for Teachers and Students
[+ leia mais]
Colaborador: Tadeu Kubo
Fonte: IAEA
 
 
IAEA Human Health Reports 9 “Quantitative Nuclear Medicine Imaging: Concepts, Requirements and Methods”
 
This publication reviews the current state of the art of image quantification and provides a solid background of tools and methods to medical physicists and other related professionals who are faced with quantification of radionuclide distribution in clinical practice. It describes and analyses the physical effects that degrade image quality and affect the accuracy of quantification, and describes methods to compensate for them in planar, single-photon emission computed tomography (SPECT) and positron emission tomography (PET) images. [+ leia mais]
Colaborador: Lorena Pozzo
Fonte: IAEA
 
 
Consulta Pública
 
Encontra-se disponível para Consulta Pública, segundo a Comissão Nacional de Energia Nuclear o projeto de Norma "Requisitos de Segurança e Proteção Radiológica para Sserviços de Medicina Nuclear" . A Comissão pede para enviar sugestões ao Projeto de Norma. O acompanhamento do processo pode ser realizado através do Site da CNEN, depois da efetuação de um Cadastro. [+ leia mais]
Colaborador: Edmario /Costa
Fonte: CNEN
 
 
Effects of MR surface coils on PET quantification
 
"Med. Phys. 38, 2948 (2011); doi:10.1118/1.3583697 (9 pages) The goal of this work was to investigate the effects of MRI surface coils on attenuation-corrected PET emission data. The authors studied the cases where either an MRI or a CT scan would be used to provide PET attenuation correction (AC)." [+ leia mais]
Fonte: Medical Physics
 
 
Estimator for photon counting energy selective x-ray imaging with multibin pulse height analysis
 
"Med. Phys. 38, 2324 (2011); doi:10.1118/1.3570658 (11 pages) This paper describes a noniterative estimator for the energy dependent information from photon counting detectors with multibin pulse height analysis (PHA)." [+ leia mais]
Fonte: Medical Physics
 
 
Medical Response to a Major Radiologic Emergency: A Primer for Medical and Public Health Practitioners
 
There are several types of serious nuclear or radiologic emergencies that would require a specialized medical response. [+ leia mais]
Colaborador: Gisela Menegussi
Fonte: Radiology
 
 
Reduction of stimulated sodium iodide symporter expression by estrogen
 
"Nuclear Medicine and Biology Volume 38, Issue 2, February 2011, Pages 287-294 The sodium iodide symporter (NIS) mediates active iodide uptake in lactating breast tissue, and when its levels are enhanced by alltrans retinoic acid (atRA), NIS has been proposed as a target for the imaging and radiotherapy of breast cancer. "
Fonte: Nuclear Medicine and Biology
 
 
Direct intratumoral infusion of liposome encapsulated rhenium radionuclides for cancer therapy: Effects of nonuniform intratumoral dose distribution
 
"Med. Phys. 38, 1339 (2011); doi:10.1118/1.3552923 (9 pages) Focused radiation therapy by direct intratumoral infusion of lipid nanoparticle (liposome)-carried beta-emitting radionuclides has shown promising results in animal model studies; however, little is known about the impact the intratumoral liposomal radionuclide distribution may have on tumor control." [+ leia mais]
Fonte: Medical Physics
 
 
Prognostic implication of late gadolinium enhancement on cardiac MRI in light chain (AL) amyloidosis on long term follow up
 
"BMC Medical Physics 2009, 9:5doi:10.1186/1756-6649-9-5 Light chain amyloidosis (AL) is a rare plasma cell dyscrasia associated with poor survival especially in the setting of heart failure. Late gadolinium enhancement (LGE) on cardiac MRI was recently found to correlate with myocardial amyloid deposition but the prognostic role is not established." [+ leia mais]
Fonte: BMC
 
 
Low-Dose 18F-FDG PET/CT Enterography: Improving on CT Enterography Assessment of Patients with Crohn Disease
 
The purpose of this study was to evaluate the diagnostic efficacy of low-dose, combined 18F-FDG PET/CT enterography (PET/CTE), compared with CT enterography (CTE) alone, in the assessment of patients with Crohn disease. [+ leia mais]
Fonte: The Journal of Medicine Nuclear
 
 
Imaging cancer using PET — the effect of the bifunctional chelator on the biodistribution of a 64Cu-labeled antibody
 
"Volume 38, Issue 1, January 2011, Pages 29-38 Use of copper radioisotopes in antibody radiolabeling is challenged by reported loss of the radionuclide from the bifunctional chelator used to label the protein. The objective of this study was to investigate the relationship between the thermodynamic stability of the 64Cu-complexes of five commonly used bifunctional chelators (BFCs) and the biodistribution of an antibody labeled with 64Cu using these chelators in tumor-bearing mice. " [+ leia mais]
Fonte: Nuclear Medicine and Biology
 
 
Imaging cancer using PET — the effect of the bifunctional chelator on the biodistribution of a 64Cu-labeled antibody
 
"Use of copper radioisotopes in antibody radiolabeling is challenged by reported loss of the radionuclide from the bifunctional chelator used to label the protein. The objective of this study was to investigate the relationship between the thermodynamic stability of the 64Cu-complexes of five commonly used bifunctional chelators (BFCs) and the biodistribution of an antibody labeled with 64Cu using these chelators in tumor-bearing mice. Nuclear Medicine and Biology Volume 38, Issue 1, January 2011, Pages 29-38" [+ leia mais]
Fonte: Nuclear Medicine and Biology
 
 
99mTc-labelled gold nanoparticles capped with HYNIC-peptide/mannose for sentinel lymph node detection
 
"The aim of this research was to prepare a multifunctional system of technetium-99m-labelled gold nanoparticles conjugated to HYNIC-GGC/mannose and to evaluate its biological behaviour as a potential radiopharmaceutical for sentinel lymph node detection (SLND). Volume 38, Issue 1, January 2011, Pages 1-11" [+ leia mais]
Fonte: Nuclear Medicine and Biology
 
 
Optimal shielding design for bunkers of compact cyclotrons used in the production of medical radionuclides
 
"Med. Phys. 37, 6332 (2010); doi:10.1118/1.3515458 (6 pages) Purpose: There are several options to consider in the design of a vault that will house a cyclotron for radioisotopes production with regards to the door entrance. Alternatives are a direct-shielded door, a simple maze, or a double-legged maze. In this work, the impact of the neutron and photon doses at the vault entrance was evaluated for these options. Methods: Monte Carlo simulations were carried out in order to assess photon and neutron ambient dose equivalents. Simulations results were compared to experimental measurements taken inside a vault with a direct-shielded door. Results: The double-legged maze is the configuration that provides the higher degree of radiological protection at the vault entrance. In addition, the fact of the location of the cyclotron target plays an important role in the ambient dose equivalents. Conclusions: The comparison performed between measurements and results of MCNP simulations confirmed a favorable agreement; maze legs reduce the neutron energies at the entrances of the vault. However, a degree of dose reduction similar to the one obtained for a two-legged maze can be achieved with the addition of shielding against neutrons in the inner maze entrance to act as a second door. A choice of a vault design is more evident by comparing the results of this study. © 2010 American Association of Physicists in Medicine " [+ leia mais]
Fonte: Medical Physics
 
 
Comparison of the stability of Y-90-, Lu-177- and Ga-68- labeled human serum albumin microspheres (DOTA-HSAM)
 
"Introduction Microparticles derived from denatured human serum albumin (DOTA-derivatized human serum albumin microspheres, or DOTA-HSAM) are attractive carriers of radionuclides for both therapeutic and diagnostic purposes. In this article, we describe a labeling procedure for diagnostic (Ga-68) and therapeutic (Y-90, Lu-177) radionuclides and report on the results of stability studies of these products. Methods DOTA-HSAM was labeled in 0.5 M ammonium acetate buffer, pH 5.0, containing 0.02 mg/ml detergent. After adding the radionuclide, the mixture was shaken for 15 min at 90°C. Labeling yields and in vitro stability were determined by thin-layer chromatography. For determination of the in vivo stability of Ga-68 and Y-90 DOTA-HSAM, the particles were injected intravenously in Wistar rats. Results Labeling yields up to 95% in the case of Ga-68 and Lu-177 were achieved. Ga-68-labeled DOTA-HSAM showed high in vitro and in vivo stability. The amount of particle-bound radioactivity of Lu-177 DOTA-HSAM declines slowly in a linear manner to approximately 72% after 13 days. For Y-90, the labeling yield decreased with increasing radioactivity level. We presume radiolysis as the reason for these findings. Conclusion The labeling of DOTA-HSAM with different radionuclides is easy to perform. The radiation-induced cleavage of the labeled chelator together with the rather short half-life of radioactivity fixation in vivo (3.7 days) is, in our opinion, opposed to therapeutic applications of DOTA-HSAM. On the other hand, the high stability of Ga-68 DOTA-HSAM makes them an attractive candidate for the measurement of regional perfusion by PET. Nuclear Medicine and Biology Volume 37, Issue 8, November 2010, Pages 861-867" [+ leia mais]
Fonte: Nuclear Medicine and Biology
 
 
Páginas: 1 - 2 - 3
 
WEBMAIL
 
 
Dúvidas?
Esqueceu sua senha?
 
PATROCINADORES
 
ANUNCIE AQUI
 
NOVIDADES
 
 
Cadastre-se gratuitamente e fique por dentro das novidades da ABFM
 
 
 
ABFM - ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE FÍSICA MÉDICA - CNPJ 02.091.077/0001-40 - CAIXA POSTAL 6706 | CEP 90610970 | PORTO ALEGRE | RS