ATRIBUIÇÕES DO ESPECIALISTA EM MEDICINA NUCLEAR

A Física da Medicina Nuclear é a área da Física-Médica relacionada ao uso de radionuclídeos para fins de diagnóstico e terapia, por isso, os físicos especialistas nesta modalidade devem estar aptos a realizar as atividades específicas associadas a ela. Além disso, eles devem possuir uma formação geral e básica sobre a Física-Médica, em especial, sobre as outras modalidades de imagens médicas como a radiologia, a ressonância magnética nuclear e a ultrassonografia.

As atividades da competência dos físicos que atuam em Medicina Nuclear incluem:

a) Especificar, calibrar e manusear quipamentos: mapeador linear, câmara de cintilização estacionária, câmara tomográfica por emissão de fóton único (SPECT), contadores cintilográficos sólidos e líquidos, sistemas de medidas de captação, monitores de área, calibradores de dose, sistemas computacionais, sistemas de registro, processadores de filmes, e outros.

b) Desenvolver e executar programas de aceitação, controle e garantia de qualidade dos equipamentos e imagens de Medicina Nuclear, segundo normas e critérios de IAEA, CNEN, ACR/NEMA, AAPM, HPA, e outros.

c) Atuar em proteção radiológica: monitorar, controlar e realizar a proteção radiológica do ambiente, público, pacientes e pessoal de trabalho; manipular e gerenciar os rejeitos, descontaminar e controlar incidentes e acidentes radioativos; planejar áreas de manuseio, uso e armazenamento de materiais radioativos não-selados (gases, líquidos e sólidos); implementar normas e regulamentos locais, nacionais e internacionais, otimizar a proteção radiológica;

d) Proceder a dosimetria de pacientes: calcular doses internas; planejar e monitorar procedimentos terápicos;

e) Apoiar na área de Radiofarmácia: no manuseio de geradores de radionuclídeos e de fontes não-seladas, no controle de atividades manipuladas; ministrar noções sobre preparação e controle de qualidade de radiofármacos;

f) Apoiar as indicações clínicas, desenvolvendo protocolos de aquisição de dados e de técnicas de processamento digital e análise;

g) Atuar no treinamento e formação de recursos humanos na área de Medicina Nuclear: apoiar no planejamento e participar em programas de residência e de especialização médicas, e de formação de técnicos especializados;

h) Dar apoio administrativo e logístico em assuntos relacionados com planejamento, uso, compra e transporte de equipamento e materiais radioativos não-selados e seus derivados;

i) Formular, organizar, participar, gerenciar, procurar apoio financeiro e outras atividades relacionadas a desenvolvimentos de projetos de pesquisa na área;

PROGRAMA DA PROVA GERAL

PESOS

Processamento de sinais: 35%
Instrumentação: 35%
Proteção radiológica e Dosimetria: 30%

I. FUNDAMENTOS DA MEDICINA NUCLEAR

a) Princípios da Medicina Nuclear.
b) Noções de bioquímica e radiofarmácia .
c) Procedimentos e medicina nuclear diagnóstica.
d) Aplicações terapêuticas de radiofármacos.


II. SISTEMAS DE DETECÇÃO


a) Espectroscopia.
b) Parâmetros básicos de detecção e medição: eficiência de detecção, tempo morto.
c) Calibradores de dose.
d) Contadores de poço - NaI(Tl).
e) Contadores líquidos de cintilação.
f) Sistemas semicondutores.
g) Sensores externos para captação in vivo.
h) Densitometria óssea.

III. CÂMARA CINTILOGRÁFICA

a) Princípio básico da câmara de Anger e a imagem radionuclídica.
b) Componentes principais e suas características: sistema de detecção e eletrônica associada, colimadores.
c) Apresentação das imagens: osciloscópio de persistência, monitores e sistemas de registro.
d) Características de desempenho: uniformidade e linearidade, resolução energética, temporal e espacial, sensibilidade, eficiência de detecção, tempo morto.
e) Colimadores: tipos e características.
f) Interface câmara-computador.
g) Controle de Qualidade e Testes de Aceitação.

IV. OUTROS SISTEMAS DE FORMAÇÃO DE IMAGENS RADIONUCLÍDICAS

a) Mapeadores lineares: princípio de funcionamento, colimadores, características de desempenho, controle de qualidade.
b) Câmaras multi-detectores: princípio de funcionamento, características e indicações de uso.


V. CARACTERÍSTICAS E QUALIDADE DA IMAGEM RADIONUCLÍDICA


a) Parâmetros característicos: contraste, resolução espacial, ruído, distorções e artefatos.
b) Métodos de avaliação e quantificação das características de desempenho.
c) Fatores que afetam a qualidade de imagem e suas possíveis correções.
d) Programas de controle e garantia de qualidade.

VI. TOMOGRAFIA POR EMISSÃO

a) Princípio da tomografia por emissão de fótons: características, fatores que afetam a qualidade da imagem tomográfica.
b) Fundamentos da reconstrução tomográfica: métodos analíticos, algébricos e outros.
c) Câmaras tomográficas por emissão de fóton único (SPECT): tipos e características.
d) Câmara tomográfica (SPECT) de um detetor: características de desempenho, testes de aceitação, programa de controle e garantia de qualidade.
e) Câmara tomográfica (SPECT) de multi-detectores: características de desempenho, testes de aceitação, programa de controle e garantia de qualidade.
f) Desempenho clínico (SPECT): escolha do colimador, órbita, amostragem angular, arco de varredura, algoritmo de reconstrução e outros fatores relevantes.
g) Tomografia por emissão de pósitron (PET): diferenças do SPECT, características, sistemas de formação de imagens, principais indicações clínicas.

VII. TERAPIA COM FONTES NÃO-SELADAS

a) Aspectos fundamentais da terapia com fontes não-seladas.
b) Principais indicações e monitoração de pacientes.
c) Projeto e planejamento de áreas de terapia e rejeitos.


VIII. PROCESSAMENTO DIGITAL DE IMAGENS

a) Fundamentos da imagem digital.
b) Representações e transformadas de imagens.
c) Métodos básicos de processamento: redução de ruídos, realces, restaurações, filtragens espaciais e no domínio de frequências, detetores de bordas, segmentação, reconhecimento de padrões, análise de movimentos, visualização 3D, espaço de cores.
d) Aplicações clínicas.

IX. RADIOLOGIA DIAGNÓSTICA

a) Tubos de raios-X: espectro e características.
b) Qualidade dos raios-X.
c) Imagens radiológicas: características e qualidade.
d) Tipos de imagens radiológicas e suas aplicações.

SUGESTÃO DE REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
EM MEDICINA NUCLEAR

CNEN - NE 3.05 - Requisitos de Radioproteção e Segurança para Serviços de Medicina Nuclear

COLCHESTER, A.C.F. ed..- Information Processing in Medical Imaging

GONZALEZ, R.C. & WINTZ, P. Digital Image Processing.

IAEA - Quality Control of Nuclear Medicine Instruments 1991 - TECDOC 602. International Atomic Energy Agency

IPSM 65 - Report No. 65. Quality Standards in Nuclear Medicine. The Institute of Physical Sciences in Medicine

IPSM 66 - Report No. 66. Quality Control of Gamma Cameras and Associated Computer Systems. The Institute of Physical Sciences in Medicine -

JAIN, A.K. Fundamentals of Digital Image Processing.

LAWRENCE, E. Nuclear Medical Physics. Williams, eds.

PALMER, E.L. & SCOTT, F. A. & STRAUSS, H.W. Pratical Nuclear Medicine.

ROLLO, D. F. Nuclear Medicine Physics, Instrumentation, and agents.

ROSENFELD, A. & KAN, A.C. Digital Picture Processing.

SORENSON, J. A. & PHELPS M. E. Physics in Nuclear Medicine.